Loading...

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Curso de Questões Étnico-raciais em Araquari

Mexendo nas fotos deste ano, encontrei algumas fotos pertinentes para serem postadas, do curso realizado na cidade de Araquari, durante o mês de agosto, referente às questões africanidade e cultura indígena.
Os finais de semana de agosto foram muito frios, porém muito produtivos, inclusive foi durante este curso que surgiram várias ideias para trabalhar sobre o meu projeto de contações de histórias.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010






A CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS: UMA VIAGEM NA CULTURA AFRO-BRASILEIRA E INDÍGENA

Jeana Danielly Miskievicz

EMEF Vítor Meirelles

jedanymis@bol.com.br


Contar histórias é proporcionar ao ouvinte momentos agradáveis, pois a cada fato novo do enredo, o sujeito envolve-se em um mundo enigmático, arraigado de aprendizagem e imaginação. A contação em si é muito proveitosa e prazerosa, porém, se nós o fizermos abordando contos que enfoquem os povos indígenas e a herança/cultura afro encontraremos nela uma essência mais profunda; que engloba diferentes pontos de vista na formação do indivíduo como, por exemplo, o respeito pelas diferenças, a identificação étnico-racial, a desmistificação de ideologias arcaicas e a valorização dos povos africanos e indígenas. A escola é um local que contribui para a formação da opinião dos alunos, se esta trabalha de maneira excluidora, consequentemente formará uma sociedade que também excluirá. Desta forma o trabalho com a diversidade, seja de gênero, racial, religião é de suma importância para que possa se reconhecer e valorizar a todos, efetivando o sentido da escola o de inclusão e não de exclusão. O presente estudo tem como tema os contos, as histórias e as lendas africanas, afro-brasileiros e indígenas. Objetiva encantar os ouvintes, as crianças, com a cultura afro e indígena, destacando as questões inerentes do étnico racial. Os objetivos específicos são: evidenciar que há as diferenças, ressaltando o belo em cada ser, reverter a visão distorcida, eurocêntrica, a qual nos foi repassada. A área de abrangência do projeto/estudo se encontra na Educação, mais específico na Lei nº 11.645, 10 de março de 2008. As turmas envolvidas no projeto contemplam alunos do pré I ao 5º ano, da EMEF Vítor Meirelles, com idade de quatro a doze anos. Na prática do projeto têm-se a vivacidade das contações onde a contadora se transforma em duas bonecas vivas, em momentos distintos, uma negra e outra indígena, oferecendo uma viagem imaginária além das histórias, pois suas indumentárias são retrato da própria cultura abordada. Um ambiente que enfatiza as questões de africanidade e indígena deixa nítido o processo de formação da cultura brasileira e sua identidade.


terça-feira, 24 de agosto de 2010

Memorial


Tendo exemplares máximos em minha família no setor de educação, consequentemente apaixonei-me por esta área desde muito cedo, dedicando-me intensamente por todas as etapas vivenciadas.
Antes mesmo de eu cursar o magistéio, lá pelos meus quinze aninhos já ministrava aula de danças folclóricas, em um CTG (Centro de Tradições Gaúchas), algo que me encantava muito, onde ensino a bailarem várias faixas etárias.
Depois da paixão da dança,veio a da declamação de poesia, onde além de vários troféus expostos em casa conquistei também a expanasão da declamação com os meus alunos declamadores.
então com incentivo de meus pais cursei juntamente com o ensino médio, o magistério, foi uma época muito corrida na minha vida, além dos estágios, aulas de estágio, tinha as aulas em dois períodos, mais curso de acordeom e as aulas do CTG...
E na Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras (FAFI) formei-me no curso de pedagogia e já no 4º ano da faculdade comecei a cursar também minha pós-graduação em psicopedagogia institucional, pela mesma instituição.
Como já relatei na postagem anterior, passei por várias turmas de várias faixas etárias, mas o que me encanta é trabalho com artes, histórias, folclore.
Hoje trabalho na função de supervisora de ensino da EMEF Vítor Meirelles, e rotineiramente faço tentantivas para mostrar e ensinar o que há de melhor para os nossos alunos sendo através de apresentações, conversas diretas, auxílio aos professores,intereção com os funcionários.
Para o futuro desejo retornar a cursar história, pois deixei-o de lado , já que tinha vindo morar aqui em Jaraguá do Sul.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Pós "férias"

depois de renovadas as forças cá estamos novamente prontos para continuarmos o nosso trabalho, o de lapidar almas, através do ensino.
Façamos de tudo para melhorarmos a vida dos nossoss alunos proporcionando o cotidiano da escola momentos inesquecíveis (positivamente) e engrandecedores!!!
bom retorno a todos!

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Minhas vivências

Nossa que complicado...
bom, desde muito cedo comecei neste caminho da educação...
Já com cerca de 15 anos já ministrava aulas de danças tradicionais e desde então várias faixas etárias bailaram comigo de crianças de dois anos até as maiores de oitenta e tantos...
Cada momento da minha vida educacional fiz ser encantador, cativante e apaixonante, pois acredito que a educação sem estar unida com muitas paixão não vale a pena. Só conseguimos ensinar verdadeiramente se realmente realizarmos com empenho.
Recordo-me docemente de cada turma de alunos que ensinei seja os alunos de dança, seja os de declmação, os alunos do ensino regular do pré, jardim, da creche, os maiores do 6 º ao 9º ano, bem como os ano de supervisão que me fizeram aprender muito seja com professores ou com os alunos e membros de equipe gestora.
mas jamais poderei esquecer dos anos de magistério, faculdade e pos-graduação onde com os colegas e minhas amigas trocávamos vivências, textos, emoções e são duradouras e inapagáveis.
Vale lembrar que além de tudo isso que ressaltei, o que há de mais importante para fazer o ser um apaixonado pelo que faz é o pilar familiar, que te estrutura e não desampara nas horas mais difícieis. E isso graças eu sempre tive, por isso sou esta pessoa esforçada e empenhada e principalmente apaixonada pela vida, que mostro-me hoje!

terça-feira, 20 de julho de 2010

Após uma árdua luta para lembrar da senha e email do outro , desisti do antigo e resolvi aplicar-me e construir um novo, porém com o mesmo look do outro, pois o blog pode ter mudado, porém a blogueira aki continua a mesma!!!!