Loading...

quinta-feira, 28 de outubro de 2010






A CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS: UMA VIAGEM NA CULTURA AFRO-BRASILEIRA E INDÍGENA

Jeana Danielly Miskievicz

EMEF Vítor Meirelles

jedanymis@bol.com.br


Contar histórias é proporcionar ao ouvinte momentos agradáveis, pois a cada fato novo do enredo, o sujeito envolve-se em um mundo enigmático, arraigado de aprendizagem e imaginação. A contação em si é muito proveitosa e prazerosa, porém, se nós o fizermos abordando contos que enfoquem os povos indígenas e a herança/cultura afro encontraremos nela uma essência mais profunda; que engloba diferentes pontos de vista na formação do indivíduo como, por exemplo, o respeito pelas diferenças, a identificação étnico-racial, a desmistificação de ideologias arcaicas e a valorização dos povos africanos e indígenas. A escola é um local que contribui para a formação da opinião dos alunos, se esta trabalha de maneira excluidora, consequentemente formará uma sociedade que também excluirá. Desta forma o trabalho com a diversidade, seja de gênero, racial, religião é de suma importância para que possa se reconhecer e valorizar a todos, efetivando o sentido da escola o de inclusão e não de exclusão. O presente estudo tem como tema os contos, as histórias e as lendas africanas, afro-brasileiros e indígenas. Objetiva encantar os ouvintes, as crianças, com a cultura afro e indígena, destacando as questões inerentes do étnico racial. Os objetivos específicos são: evidenciar que há as diferenças, ressaltando o belo em cada ser, reverter a visão distorcida, eurocêntrica, a qual nos foi repassada. A área de abrangência do projeto/estudo se encontra na Educação, mais específico na Lei nº 11.645, 10 de março de 2008. As turmas envolvidas no projeto contemplam alunos do pré I ao 5º ano, da EMEF Vítor Meirelles, com idade de quatro a doze anos. Na prática do projeto têm-se a vivacidade das contações onde a contadora se transforma em duas bonecas vivas, em momentos distintos, uma negra e outra indígena, oferecendo uma viagem imaginária além das histórias, pois suas indumentárias são retrato da própria cultura abordada. Um ambiente que enfatiza as questões de africanidade e indígena deixa nítido o processo de formação da cultura brasileira e sua identidade.


Um comentário: